Peugeot 3008 desafia o líder Jeep Compass 2018 – Comparativo


Líder e queridinho de vendas absoluto do segmento de utilitários-esportivos médios, o Jeep Compass humilha seus adversários. Nem por isso a concorrência está parada. Seu novo rival no mercado brasileiro é o francês Peugeot 3008, que encara o modelo nacional neste comparativo.

Na versão de topo com motor flexível, a Limited, que custa R$ 131.990, o Compass faz duelo com o 3008, vendido no País em configuração única, a Griffe, por R$ 139.990. O novato foi vitorioso por ter desempenho melhor e ser mais bem equipado e bonito.

Ambos têm controles de estabilidade e tração, auxílio de partida em rampa, freio de estacionamento elétrico, ar-condicionado de duas zonas, start-stop, sensores de luz, chuva e obstáculos traseiro e entrada e partida sem uso da chave. O 3008 oferece a mais teto solar panorâmico, bancos com ajustes elétricos e massageadores, faróis de LEDs, câmera de 180°, sensor de obstáculos dianteiro e painel de instrumentos virtual. A favor do Compass, há o air bag de joelho, alerta de ponto cego e navegador GPS.

Por dentro, a cabine do 3008 é toda voltada ao motorista, com detalhes que lembram botões de aviões. Na borda das portas, teto e chão há iluminação de LEDs. Há ainda tecido no painel, o que dá um ar mais requintado ao interior.

O acabamento interno do Compass é bom, mas inferior ao do 3008, por ser menos inovador e ousado. Apesar de novo, o Jeep, por dentro, parece ser um projeto desenvolvido há dez anos.

WS1 SÃO PAULO – 25/07/ 2017 – COMPARATIVO PEUGEOT 3008/ JEEP COMPASS LIMITED – JORNAL DO CARRO – Cmparativo entre os carros Pegeot 3008 x Jeep Compass Limited. Na foto carro e detalhes da Captur. Na foto detalhes do Jeep Compass Limited. FOTO:WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Nos dois, o espaço interno é bom para quatro adultos, já que o túnel central alto atrapalha o ocupante do meio do banco de trás. Na frente, há mais conforto no 3008, pois os bancos trazem suporte melhor nas laterais e têm extensor para as pernas.

WS1 SÃO PAULO – 25/07/ 2017 – COMPARATIVO PEUGEOT 3008/ JEEP COMPASS LIMITED – JORNAL DO CARRO – Cmparativo entre os carros Pegeot 3008 x Jeep Compass Limited. Na foto carro e detalhes da Captur. FOTO:WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Por fora, as linhas do 3008 chamam mais a atenção, mas o Compass agrada quem busca estilo mais off-road.

Dirigibilidade

O 3008 tem motor 1.6 turbo a gasolina de 165 cv e 24,5 mkgf. No Compass, 2.0 flexível aspirado gera 166 cv e 20,5 mkgf. Nos dois, a transmissão é automática de seis marchas, ambas com trocas suaves e imperceptíveis.

O Peugeot tem melhor desempenho, pois o torque maior chega mais cedo graças ao turbo. As acelerações e retomadas são mais rápidas que as dos concorrentes. Ainda assim, com carro cheio, o Peugeot também fica no limite do desempenho ideal para seus cerca de 1.500 quilos.

A dirigibilidade do 3008 é boa, como em um sedã. A assistência elétrica variável da direção ajuda a entregar respostas diretas, e o volante pequeno tem boa empunhadura. O ajuste da suspensão evita que o carro deite nas curvas, mas, em compensação, lida mal com buracos.

No Compass, a direção elétrica é anestesiada e tem respostas mais lentas. A carroceria tende a rolar mais nas curvas, mas a suspensão absorve melhor os impactos com o solo.

O 3008 tem freios que são poucos graduais: ao menor toque no pedal, tendem a estancar o carro com força, o que incomoda especialmente no anda e para do trânsito. O sistema do Compass tem funcionamento mais suave.

Veredicto

Não dá para voltar atrás: os utilitários-esportivos vieram e vão ficar. O que esse comparativo entre 3008 e Compass mostra é que a partir de agora haverá uma diferenciação dentro do segmento em estilos de dirigibilidade. Enquanto o carro francês é claramente mais urbano, com essa tocada que se aproxima de um sedã, o Jeep manteve parte da aura do fora de estrada, o que é normal no caso da marca. A Peugeot também acabou com a crise de identidade do 3008, que na geração anterior era um misto de perua e utilitário. Ele tem ainda mais espaço de carga (520 litros, ante 410 l do Jeep). O desafio do 3008 é provar que a má fama do carro francês ficou para trás. Para isso, ele tem revisões um pouco mais baratas e um programa de recompra garantida. O Compass tem seguro mais em conta e gama diversificada, com opções flexíveis e a diesel. Fora isso, o fato de ser um Jeep conta muito para quem é fã do segmento de utilitários.

Jeep Compass x Toyota Corolla 2018 – Comparativo dos carros mais vendidos de sua categoria


Os queridinhos do Brasil. Jeep Compass e Toyota Corolla são os novos queridinhos do brasileiro. Longe de pertencerem a segmentos populares, os dois frequentemente aparecem na lista dos dez carros mais vendidos do País.

 Além disso, dominam os emplacamentos de seus respectivos segmentos, deixando pouco espaço para a concorrência. Embora pertençam a categorias diferentes, atraem o mesmo perfil de consumidor, que faz questão de conforto e, geralmente, precisa de espaço para a família. Mas qual deles é a melhor opção?

Reunimos as versões com os preços mais próximos. O Corolla comparece na opção de topo, Altis, a R$ 116.990. Para encará-lo, a linha Compass é representada pela Longitude, a intermediária entre as versões com motor 2.0 flexível.

O preço inicial de R$ 112.490 já garante ao Jeep uma nota maior nesse quesito. Porém, para receber alguns itens que vêm de série no Toyota, a tabela do utilitário chega a R$ 119.035.

Essa é uma das razões para a vitória ao sedã médio, que triunfou nesse duelo também graças aos custos menores de manutenção e seguro, ao desempenho superior e ao menor consumo.

Renovado no início do ano, o Corolla recebeu, finalmente, controles de estabilidade e tração, reforçando a oferta de itens de segurança.

Não é só por isso que, em movimento, o Toyota é mais estável que o Jeep. O Corolla tem centro de gravidade mais baixo e respostas de direção mais diretas. Esses fatores o deixam mais esperto em mudanças de trajetória.

A carroceria do Compass balança mais em alta velocidade e o carro se mostra um pouco anestesiado nas respostas aos comandos da direção.

Ainda assim, os sistemas de comando eletrônicos e as suspensões independentes nas quatro rodas – no Corolla o conjunto traseiro tem eixo de torção – deixam o Compass estável (para um utilitário). Ele é também bastante confortável. Quem está a bordo não sente tanto os impactos contra pisos ruins e buracos, por exemplo.

Apesar de ser mais baixo e ter sistema de suspensão inferior ao do rival, o Corolla não fica atrás no quesito conforto ao rodar. O bem-estar a bordo, aliás, é um dos pontos altos do sedã.

Pé no acelerador

Na hora de acelerar, o Toyota é superior por ser mais leve e ter câmbio melhor. Trata-se de um automático CVT, mais voltado ao conforto que ao desempenho.

Ainda assim, é eficiente e, se não faz do carro um exemplo de agilidade, ao menos o deixa melhor que o Jeep em acelerações e retomadas de velocidade. A transmissão do Corolla casou bem com o 2.0 flexível de até 153 cv.

O motor do Jeep, também 2.0, gera 166 cv e tem torque semelhante ao do Toyota. Porém, seu câmbio automático de seis marchas não tem a mesma eficiência da caixa do sedã.

O Compass não chega a ser lento, mas demora mais que o Corolla para ganhar velocidade. Nos dois a aceleração ocorre de forma bastante gradual.

Detalhes

Em equipamentos, o Corolla tem nota igual à do Compass por trazer pacote mais amplo de itens de série. Porém, quando se consideram os opcionais, só o Jeep traz teto solar, vendido por R$ 6.800.

Os dois carros saem de fábrica com ar-condicionado com duas zonas de temperatura, faróis de LEDs, controlador de velocidade e central multimídia com navegador GPS – apenas a do Toyota traz toca-DVDs e TV digital.

Além disso, apenas o sedã, que não tem opcionais, tem sete air bags – no Compass, as bolsas extras vêm em um pacote de R$ 3.045. Bancos de couro também são de série no Corolla e extras no Jeep (o kit que traz o item custa R$ R$ 3.500). O Compass também tem sua exclusividade de série: o freio de estacionamento elétrico.

No quesito espaço, os dois carros são equivalentes. O Corolla tem distância entre os eixos e porta-malas maiores. O Compass contra-ataca com o teto mais alto. Além disso, é mais fácil organizar as malas em seu bagageiro, graças à ampla abertura da tampa.

Uma peculiaridade bastante irritante do Jeep é o som muito alto do alarme.

O acabamento de ambos é bom. O do Corolla é mais benfeito e traz materiais de ótima qualidade, embora não se destaque pela beleza. No Compass, por sua vez, o visual interno agrada mais aos olhos.

Defeito no Ar Condicionado do Jeep Compass: usuários reclamam nas redes sociais de baixo rendimento


Donos do Jeep Compass não tem muito do que reclamar, pelo menos do design e conforto do veículo, mas tem um item que está incomodando os proprietários pelo baixo rendimento, o Ar Condicionado, veja as reclamações de alguns no Facebook.

MANUTENÇÃO DO AR CONDICIONADO DE UM CARRO: AO QUE DEVE DAR ATENÇÃO

Os sistemas de climatização desempenham um papel decisivo na segurança de condução de um automóvel e no conforto dos seus passageiros. Para o bom funcionamento do ar condicionado de um carro, é necessária uma vistoria de dois em dois anos ou quando o seu automóvel percorre 40.000 km. É fundamental fazer uma revisão ao automóvel, de modo a verificar se a pressão do gás está exata e se o filtro do habitáculo está a ventilar corretamente o interior do seu veículo.

Para que o ar condicionado esteja nas perfeitas condições, deve ter em atenção alguns aspetos:

Os odores: Se surgir algum mau cheiro proveniente do ventilador isso deve-se à presença de partículas que entopem o condensador. Insetos, sacos de plástico e folhas de árvores poderão impedir o ar de passar pelo condensador. Este deve ser limpo com um solvente para que o ar condicionado tenha um bom desempenho;

A temperatura do veículo: Antes de ligar o ar condicionado é necessário arejar o interior do seu veículo para que possa sair o calor acumulado no mesmo. No tejadilho do habitáculo de um carro a temperatura pode atingir 70ºC. Ligar o ar condicionado quando o seu carro apresenta estas temperaturas poderá constituir um risco para a sua saúde.

Um pormenor interessante e importante é quando a temperatura exterior de um automóvel atinge menos de 3º C negativos, o compressor pode ficar danificado. Para que tal não suceda, desligue-o imediatamente;

O gás refrigerante: Deve ligar o ar condicionado de um carro regularmente, pois assim evita a falta de lubrificação no compressor. Se o seu automóvel estiver parado há muito tempo, corre o risco de perder o gás refrigerante e, depois, é necessário recarregá-lo;

As saídas de ventilação: Não tape nem obstrua as saídas de ventilação. Um erro comum é colocar os suportes dos telemóveis em frente às saídas de ventilação, assim o ar condicionado não tem potência para produzir o efeito desejado;

A limpeza do automóvel: Na limpeza do seu veículo não aponte o jato de água para a zona que se encontra por baixo do para-brisas, isso pode danificar o filtro do habitáculo e terá que o substituir. Deve também retirar todas as folhas das árvores acumuladas nas entradas de ar do seu veículo para que consiga ter uma respiração saudável;

O para-brisas interior embaciado: Quando entra no seu automóvel e constata que o interior do mesmo está embaciado, sem qualquer razão aparente, isso pode significar alguma fuga na refrigeração do ar condicionado do carro, deve recorrer imediatamente a um especialista.

Estes são alguns sintomas que lhe indicam que o ar condicionado pode não estar a funcionar da forma como é suposto. Como tal, deve levar o seu automóvel a um especialista para que seja corrigida a respetiva anomalia.

O ar condicionado é uma inovação a que ninguém fica indiferente, pois é uma vantagem para o automóvel e um benefício enorme para todos os condutores. Com a comodidade que o ar condicionado oferece, as viagens de carro são verdadeiros passeios de recreação.

Ficha técnica do Jeep Compass

Motor: Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 16V, comando simples, turbo, injeção direta, diesel
Cilindrada: 1.956 cm³
Potência: 170 cv a 3.750 rpm
Torque: 35,7 kgfm a 1.750 rpm
Câmbio: Automático de 9 marchas, tração integral
Direção: Elétrica
Suspensão: Independente McPherson na dianteira e traseira
Freios: Discos ventilados (dianteiro) e sólidos (traseiro)
Pneus: 225/55 R18
Comprimento: 4,41 metros
Largura: 2,03 metros
Altura: 1,64 metro
Entre-eixos: 2,63 metros
Tanque: 60 litros
Porta-malas: 410 litros (fabricante)
Peso: 1.717 kg

Então, você tem alguma reclamação, gostaria de relatar seu problemas com o veículo, use nossos comentários abaixo!

Jeep junior pode ser a arma secreta da marca para brigar com Honda WR-V e Ford EcoSport


2017-jeep-compass-interior-604x400

A FCA, nome do grupo que une marcas como Fiat, Jeep e Chrysler prepara um SUV menor e mais barato que o Renegade a ser produzido no Brasil. A chance maior é que ele ostente e logotipo da Jeep, devido a tradição (e sucesso) da marca no segmento.

Mas a novidade não contará com a plataforma de Renegade/Toro/Compass e sim a da nova família de compactos da Fiat. A ideia é clara: o novo produto chega para brigar com rivais como Honda WR-V e Ford EcoSport de entrada.

Preço: R$ 60  mil

Estreia: 2° semestre