MV Agusta traz linha 800 cc ao Salão Duas Rodas 2015


mvApós assumir operações no Brasil com subsidiária própria, a MV Agusta revela no Salão Duas Rodas 2015 três novos modelos tricilíndricos, que chegam no início do próximo ano: a sport-touring Turismo Veloce, a crossover Stradale e a Dragster.

Todas são equipadas com motor de três cilindros em linha, de 798 cc, utilizados na F3, na Brutale e na Rivale, que já são vendidas no país. Serão, portanto, seis modelos da linha de 800 cc comercializados em 2016 / 2017.

Os novos modelos continuarão sendo montados na fábrica da Dafra em Manaus (AM). “Estamos em uma fase de transição. O primeiro passo está sendo dado. Vamos reestruturar a rede e teremos cinco novas concessionárias em 2016 / 2017: Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e outra em Florianópolis já estão quase certas. A quinta deverá ser em Porto Alegre”, revela Vladimir Zaitseff, CEO da empresa para o Brasil.

O executivo explica que o foco dessa nova fase será em excelência no atendimento ao cliente. “Já contratamos um profissional para a área de pós-vendas que, inclusive, está em treinamento na Itália. Nosso cliente é diferenciado e quer ser bem tratado”, revela. “Ao lado dos EUA e da Malásia, o Brasil é um mercado estratégico”, acrescenta. Para 2016, a meta é vender entre 300 e 350 motos.

Novos modelos…

Futuramente, a intenção é disponibilizar praticamente toda a gama de produtos da MV Agusta, junto das atuais Brutale 1090, F4, F3, Brutale 800 e Rivale. “Exceto as motos de 675 cc que teriam preço muito próximo das 800 cc em nosso mercado”.

Para isso, a linha de 800cc chega quase completa ao Salão. Todas compartilham o mesmo motor, mas com configurações diferentes, muita eletrônica embarcada, porém com propostas diferentes. A Stradale é uma crossover que mescla a radicalidade da motard Rivale com o conforto de motos touring: seu motor produz 115 cv, as suspensões e o banco foram rebaixados e o modelo tem para-brisa e malas laterais de série.

A Dragster é quase uma moto de arrancada: pneu traseiro largo, rabeta curta e design radical com 125 cv.

Por fim, a elegante Turismo Veloce, primeira Sport-touring fabricada pela empresa, e foi inspirada no Porsche Panamera. “Ela foge do lugar comum, oferecendo alto desempenho e tecnologia embarcada, além de ter um desenho marcante, que traduz, ao mesmo tempo, agressividade e conforto”, afirmou em 2013 o presidente mundial da MV Agusta, Giovanni Castiglioni.

MV Agusta Brutale 800 2016, ficha técnica e preço


Da irmã maior, essa naked italiana herdou o design matador, porém com uma motorização completamente nova: três cilindros de 798 cm³ capaz de gerar 125 cv de potência a 11.600 rpm e 8,25 kgf.m de torque aos 8.600 giros.

Equipada com acelerador eletrônico, a Brutale 800 tem controle de tração de oito níveis, freios ABS e o MVICS (Motor & Vehicle Integrated Control System) – sistema integrado do veículo, que abrange controle de tração, acelerador eletrônico e quatro modos de pilotagem.

A Brutale 800 é uma naked agressiva, cujo projeto teve como foco principal a velocidade e a agilidade. Bruta, exclusiva e cara, essa naked de 800 cc também traz um excelente conjunto ciclístico em um pacote mais e amigável que a Brutale tetracilíndrica.

Preço da MV Agusta Brutale 800 2017

R$ 52.900

Consumo:

Máximo: 10,5 km/l
Mínimo: 14,1 km/l
Médio: 12,3 km/l

Ficha técnica:

Motor:
3 cilindros em linha
4T
Refrigeração líquida
DOHC
12 válvulas

Cilindrada:
798 cm³

Diâmetro x curso:
79 x 54,3 mm

Taxa de compressão:
13,3:1

Alimentação:
Injeção eletrônica

Lubrificação:
Forçada

Potência:
125 cv a 11.600 rpm

Torque:
8,2 kgf.m a 8.600 rpm

Câmbio:
Seis marchas

Embreagem:
Multidisco com óleo

Transmissão final:
Corrente

Chassi:
Treliça tubular de aço

Dimensões:
Comprimento: 2.085 mm
Altura do banco: 810 mm
Entre-eixos: 1.380 mm
Tanque: 16,6 litros
Peso: 167 kg (cheio)

brut

MV Agusta F4 RC 2016: preço e informações da superesportiva


A MV Agusta apresentou oficialmente na Europa a F4 RC, versão top de linha e limitada a 250 unidades de sua principal superesportiva. Focada nos pilotos que exigem alto desempenho, a moto é bem próxima do modelo pilotado por Leon Camier no Mundial de Superbike e traz, inclusive, a mesma roupagem da equipe MV Agusta Reparto Corse.

A superesportiva traz por dentro da carenagem uma versão retrabalhada e ainda mais potente o motor Corsa Corta de quatro cilindros em linha e 998 cm³. Na F4 RC, o propulsor é capaz de gerar 205 cv de potência máxima a 13.450 rpm. A eletrônica fica por conta dos quatro modos de pilotagem, acelerador eletrônico, controle de tração, freios ABS, todos assistidos por sensores que levam em conta a inclinação da moto atuar, e também pelo câmbio quickshift, que permite subir as marchas sem acionar a embreagem.

Entretanto, a casa de Varese achou que tudo isso ainda era pouco para uma moto tão exclusiva e ainda vai oferecer ao comprador um kit voltado para uso exclusivo em pistas. Além de eliminar o suporte de placa e os espelhos retrovisores, o cardápio de melhorias ainda traz escape duplo Termignoni com unidade especial de controle e um “capuz” em fibra de carbono para cobrir a garupa.

Valor da MV Agusta F4 RC

Totalmente equipado, o kit reduz o peso seco da F4 RC de 183 kg para 175 kg e ainda aumenta a potência máxima para 212 cv a 13.600 giros. A F4 RC está disponível na Itália por 36.900 Euros (cerca de R$ 130.000). Para se ter uma ideia, o valor é aproximadamente 14.ooo Euros a mais do que o cobrado pela F4 RR, esta vendida no Brasil por R$ 91.900.

Outro ponto que chama a atenção é o vídeo (que você vê abaixo) lançado pela MV Agusta para promover a nova moto. Nele, fica claro a força da parceria entre a marca italiana e a AMG, divisão de alto desempenho da Mercedes-Benz e dona de 25% da casa de Varese. No vídeo, que explica as melhorias feitas na F4 RC, o piloto Leon Camier chega para mostrar a superesportiva em um AMG GT azul, com direito a uma parada estratégica mostrando a grade da Mercedes ao lado da nova moto e a um close nas chaves do carro e da superbike juntas.

Preço: R$ 130.000

f4