Novo Mega Drive da Tectoy tem preço e data de lançamento definida, veja listas de jogos na memória


A Tectoy vai relançar o Mega Drive no Brasil em junho de 2017. O console clássico da Sega virá em edição limitada com o seu design original, incluindo o joystick de três botões.

O videogame terá 22 jogos na memória (veja lista abaixo) e entrada para cartuchos, embora a Tectoy alerte que alguns jogos em fita “podem não funcionar por causa das diferenças em relação ao hardware e ao software originais”.
A pré-venda do relançamento do Mega Drive foi aberta nesta segunda-feira (31) no site da Tectoy (clique aqui) por R$ 400. No boleto, sai por R$ 380. O site informa que o preço é promocional e limitado e que, a partir do lançamento do console em 2017, ele será reajustado para R$ 450.


A Tectoy disponibilizou uma seção de perguntas frequentes sobre o relançamento do Mega Drive (clique aqui). O texto informa que a nova versão do Mega Drive “não é um emulador”. O aparelho não tem saída HDMI, mas vem com uma entrada para cartões SD.

A Tectoy informa ainda que “até o momento não há uma definição” a respeito do relançamento de cartuchos: “A Tectoy gostaria de lançar cartuchos, mas para tanto é preciso negociar as licenças, um assunto complexo em se tratando de jogos e marcas criadas décadas atrás”.


Relançamento foi ‘pedido dos fãs’

Em nota, o presidente do conselho da Tectoy, Stefano Arnhold, comentou o relançamento. “Relançar o Mega Drive, o mais bem sucedido videogame da Sega, foi a forma que encontramos para comemorar os 30 anos da Tectoy e ao mesmo tempo homenagear toda uma geração que viveu intensamente conosco as décadas de 80 e 90”, afirmou.

O CEO da Tectoy, Tomás Diettrich, lembrou que a ação marca os 30 anos da empresa e explicou que ela atende “a um pedido dos fãs”. 

Veja os jogos que vêm na memória do novo Mega Drive:

“Alex Kidd”

“Alien Storm”

“Altered Beast”

“Arrow Flash”

“Bonanza Brothers”

“Columns”

“Decap Attack”

“E-Swat”

“Fatal Labyrinth”

“Flicky”

“Gain Ground”

“Golden Axe”

“Golden Axe 3”

“Jewel Master”

“Kid Chameleon”

“Last Battle”

“Out Runner”

“Sega Soocer”

“Shadow Dancer”

“Shinobi 3”

“Sonic 3”

“Turbo Outrun”

Nintendo Switch: veja tudo o que já se sabe sobre o novo console da marca


A Nintendo aposta todas suas fichas nesse novo aparelho, veja abaixo tudo o que se sabe do console.

O Nintendo Switch é o novo console da conceituada Nintendo, foi anunciado em vídeo oficial na última quinta-feira. O aparelho apresenta o conceito híbrido aos videogames da empresa, com uma mistura de portátil e console de mesa e sai em março de 2017 – ainda sem preço. Saiba pelo menos 11 outras novidades confirmadas pela companhia até agora:

Nintendo anuncia o videogame Switch; verdadeiro NX tem controles removíveis

O controle já tem nome: Joy-Con

Assim como o Wii remote no Nintendo Wii e o Wii U Gamepad, o controle do Switch já tem nome: Joy-Con, uma mistura entre as palavras “Joystick” e “Controller”, pois ele funciona das duas formas. Como pode ser destacado de sua base, que apresenta um “grip” no meio, com baterias próprias, ele é usado como controle tradicional ou como o modelo menor, similar ao Wii Remote.

O controle possui dois analógicos, um em cada um dos lados destacáveis, além de botões tradicionais nas laterais. Há ainda gatilhos em cima, como esperado. Não se sabe quanto tempo vai durar sua bateria externa, ao ser destacado.

Jogos da Nintendo que virão para o Switch

Já sabíamos que The Legend of Zelda: Breath of the Wild viria para Switch, quando ainda era chamado apenas de NX. Com o trailer revelado pela Nintendo, tivemos a confirmação de pelo menos mais três jogos: Mario Kart, Super Mario e Splatoon.

Enquanto Splatoon e Mario Kart não mostraram nenhuma novidade visível para a versão do Switch, o game de Super Mario exibiu uma fase que nunca vimos antes, com temática de Velho-Oeste, com o famoso mascote da Nintendo dando seus pulos por aí. Os lançamentos dos jogos ainda não possuem data.

Multiplayer entre quatro pessoas exige mais aparelhos

Como esperado, o trailer também mostrou o Switch interagido com o modo multiplayer em alguns jogos. Enquanto games para dois jogadores devem funcionar bem com apenas um console, modos multiplayer local para quatro pessoas, por exemplo, devem exigir mais aparelhos presentes, ligados por meio de algum tipo de comunicação sem fio.


No trailer, vemos pessoas participando de uma sessão de NBA 2K17, jogo de basquete da 2K Sports. São quatro os jogadores presentes, cada um com um controle na mão, porém há duas telas do Switch na mesa, indicando dois consoles rodando o título.

Console recarrega e armazena a tela

Já sabemos que o Switch terá um “modo tablet”, já que ele pode ser ligado na TV de sua casa, mas também tem uma tela destacável, que pode ser levada por aí. Essa tela fica armazenada dentro do console, que também funciona para recarregar suas baterias internas.


Vale lembrar que a tela pode ser usada como uma “micro-TV”, bem portátil, com direito a stand para deixá-la de pé, ou de forma parecida com o GamePad, com os controles encaixados em suas laterais, como se fosse um tablet exclusivo para games.

Switch vai usar cartuchos

Dê adeus aos discos arranhados! O Nintendo Switch vai usar cartuchos para jogos. O trailer mostra um cartucho sendo inserido para iniciar o game no console e a empresa também já confirmou a informação por meio de imagens oficiais.

Para muitos isso pode parecer um retrocesso, mas não indica necessariamente jogos pequenos ou “mais feios”. Vale lembrar que portáteis potentes, como PlayStation Vita e New Nintendo 3DS, também utilizam cartuchos e não são limitados pela mídia. Além disso, eles podem ser mais práticos de armazenar e ter menos riscos de sofrerem algum dano.


Nintendo quer entrar nos eSports

Está mais do que claro que o Switch também foi pensado para levar a Nintendo aos eSports, ou esportes eletrônicos, categoria para jogadores profissionais e que ganham a vida disputando torneios. No trailer, vemos jogadores treinando Splatoon, game de tiro também lançado no Wii U, e logo em seguida disputando uma partida no palco, contra outra equipe, além da torcida.

Isso indica um passo gigantesco para a Nintendo, que até pouco tempo teve problemas com o uso de Super Smash Bros. em torneio como o EVO. Por ora, o trailer apenas indica a intenção da empresa, mas tudo vai depender da aceitação do mercado e dos jogadores.


Switch usa tecnologia da Nvidia

O processador do Switch foi feito pela Nvidia, gigante das placas de vídeo e de acessórios para computadores e jogos. O processador Tegra está dentro do console e promete exibir gráficos caprichados nos mais diversos games, com arquitetura Geforce.

A novidade foi divulgada pela própria Nvidia, e não pela Nintendo, mas confirma rumores de alguns meses atrás, que já mencionavam essa parceria. Mais detalhes sobre o que isso significa devem ser revelados ao longo dos próximos meses.


Lançamento em março, mas nada ainda no Brasil

O lançamento do Switch está confirmado para março de 2017 na Europa, Japão e Estados Unidos, mas sem data detalhada. No Brasil, o futuro do console é incerto, já que a Nintendo deixou de operar no país já há alguns meses, perdendo sua representação oficial por aqui.


Apesar de o lançamento estar confirmado, não há ainda menção de preços ou também de quando os primeiros jogos saem – o mais provável é que títulos como Super Mario e outros mais simples cheguem junto com o console, no lançamento.

Nintendo tem apoio das produtoras

A Nintendo se preocupou em mostrar que o Switch já conta com grande apoio de empresas que vão desenvolver jogos para o console. O Wii e Wii U também receberam essa atenção, mas a quantidade de empresas no novo aparelho é ainda maior.


Entre os nomes confirmados estão Activision, Capcom, Konami, Square Enix, Platinum Games, From Software, Atlus, Arc System Works, Bethesda, Ubisoft, Spike Chunsoft, Sega, DeNa, Criware, Havok, Warner Bros., Bandai Namco, Unity, THQ Nordic, EA, Telltale, Frozen Byte e Koei Tecmo. Praticamente todas donas de grandes marcas e títulos já lançados.

Quatro formas de se controlar

Como citamos, o controle do Switch se destaca de sua base e pode virar um joystick secundário. O console, na verdade, tem quatro possíveis formas de se controlar. Há o Joy-Con conectado ao grip, o Joy-Con desconectado e utilizado como um Wii Remote, com o Joy-Con conectado na tela, como um tablet.


O Pro Controller é um joystick no formato mais “padrão”, seguindo de perto o mesmo modelo lançado no Wii e Wii U. A jogabilidade deve mudar pouco entre as opções de controle, o que é um alívio para quem gosta de ter opções. Nada foi mencionado sobre tela sensível ao toque, então não se sabe se o Switch possui essa funcionalidade.

Não há trava de região

A Nintendo finalmente ouviu seu público e o Switch não terá trava de região. Isto é, um console comprado na Europa pode rodar jogos lançados nos Estados Unidos e vice-versa, sem qualquer impedimento.


A trava de região sempre foi alvo de reclamações no Wii U e 3DS, principalmente por conta dos jogos japoneses que não são lançados no ocidente – o que impede que os fãs orientais que vivem no ocidente ou que saibam japonês importem legalmente estes títulos.

Informações via TechTudo

Nome verdadeiro do mc lan

Cubox-i o menor computador do mundo que roda Linux e Android, veja preço e especificações


O Cubox-i é, certamente um mini-PC interessante. Ele oferece uma grande quantidade de utilização e flexibilidade, uma vez que roda Android e Linux e conta com um bom hardware.

Um dos usos comerciais mais importantes de um computador de placa única (SBC) é como um protótipo e plataforma de desenvolvimento rápido e seguro. Com apenas 2 polegadas (50,8 mm x 50,8 mm x 50,8 mm) o Cubox é uma maravilha da engenharia.

De um lado do cubo é um conjunto de portas, incluindo a tomada de alimentação, HDMI, Ethernet e duas portas USB. Enquanto o resto do cubo é bastante sem graça, exceto para vários rótulos, logotipos e LEDs.
CuBox-i-IMG_1249

O Cubox-i vem em duas versões, uma versão dual-core (Cubox-i2eX) e uma versão quad-core (Cubox-i4Pro). O de dois dois núcleos, o i4Pro vem com 2 GB de RAM (ao invés de 1GB), o Wi-Fi / Bluetooth são incluídos por padrão (em vez de ser uma opção). O Cubox-i está vem pré-instalado com Android 4.4.

Cubox-i-Android-792x446

Existem várias distribuições Linux diferentes disponíveis para o Cubox-i, muitos deles através do Ignition. Na lista você vai encontrar nomes populares, como Debian, Arch e OpenSUSE.

Cubox-I_4x4

COMO COMPRAR

Infelizmente não temos notícias de vendas no Brasil, mas você pode acessar e adquirir diretamente do site do fabricante.

Caixas de som Bluetooth: qual a mais potente e melhor


Hoje no mercado existe centenas de marcas e modelos de caixa de som bluetooth, mas qual delas tem maior durabilidade da bateria, qual tem o melhor grave, o som mais alto, enfim qual a melhor, assista ao vídeo da Revista Superinteressante e tire suas conclusões.

 

Afinal qual a melhor: JBL Xtreme vs Beats Pill+ Apple

Beats Pill+

A nova caixa de som Bluetooth é posicionada entre a Pill e a Pill XL e promete som estéreo de qualidade, especialmente para quem não abre mão dos graves, graças ao uso de dois woofers e dois alto-falantes.

Além da nova caixa de som, a Beats criou um novo aplicativo para operar em conjunto com o produto. A ferramenta permite a conexão de vários smarts e tablets na mesma Pill+ para criar o efeito “DJ”, permitindo que várias pessoas controlem uma mesma lista de reprodução. Também é possível usar o aplicativo para combinar mais de uma Pill+ para aumentar o som e a qualidade da reprodução.

Segundo a Beats, a Pill+ terá bateria capaz de manter a reprodução de áudio ininterrupta por até 12 horas. Em caso de necessidade de recarga é possível ir do 0 ao 100% em três horas de carregamento, o que significa que longos períodos de uso da caixa de som fora da tomada precisam ser bem planejados.

beats-pill-plus

A caixa de som tem conectividade Bluetooth para reprodução de mídia, mas pode ser plugada a smartphones via Lightning e USB, especialmente na eventualidade de a bateria estar chegando ao fim. Assim como na Pill XL, há LEDs que informam o usuário sobre a quantidade de energia disponível no acessório.

Disponível nos Estados Unidos, a Pill+ é encontrada por US$ 230, equivalente a R$ 880, em conversão direta e cobrado 999, no mercado brasileiro.

JBL Xtreme

Não é apenas o visual da JBL Xtreme que chama atenção. Assim como outros modelos com radiadores passivos, como o JBL Pulse 2 e o JBL Charge 2, os graves são o destaque dessa caixa de som. Porém, tudo aqui é amplificado por conta do tamanho, que impõe respeito mesmo diante dos concorrentes da mesma marca. As dimensões se traduzem em potência sonora pura, capaz de preencher um ambiente grande com música de bastante facilidade.

Além do volume alto, o som é bastante claro. Mesmo na potência máxima percebe-se pouca distorção. Os agudos parecem um pouco exagerados, e a equalização é boa para a grande maioria das faixas e gêneros. Uma funcionalidade interessante, presente em outros produtos da JBL, é a possibilidade de conectar várias caixas de som juntas ou ao mesmo dispositivo.

jb-valor

Como se não bastasse o design monstruoso e a qualidade sonora impressionante, a JBL Xtreme também se destaca por conta de uma bateria parruda capaz de garantir várias horas de entretenimento musical. Em nossos testes, conseguimos usar essa caixa de som por mais de 5 dias enquanto ela permaneceu ligada por aproximadamente 2 horas em cada dia e em volume médio.

Considerando o consumo natural da bateria durante esse período, podemos dizer que a JBL Xtreme aguenta com tranquilidade as 15 horas prometidas pela fabricante, o que, obviamente, pode variar de acordo com o volume utilizado para a reprodução. O tempo de carregamento decepciona um pouco, mas é o resultado de uma bateria gigantesca de 10.000 mAh. Até mesmo um carregador de 19V/3A é utilizado para essa tarefa.

A JBL Xtreme é um produto que definitivamente impressiona por conta de seu tamanho e potência sonora. Consumidores que estiverem pensando em adquirir uma caixa de som competente e com uma bateria de qualidade vão encontrar aqui um dos melhores itens da categoria. O preço R$ 1.699 é um valor justo para tudo o que esse modelo oferece.

Quando o assunto é qualidade sonora, a JBL não mede esforços para entregar um produto com excelentes características, além de pontos fortes bem marcantes. O problema da conectividade não vai ser um empecilho para a grande maioria dos consumidores, já que o carregamento será algo bem raro.

Especificações técnicas da JBL Extreme

  • Altura: 126 mm
  • Largura: 283 mm
  • Comprimento: 122 mm
  • Peso: 2,1 kg
  • Fonte de força: 19V / 3A
  • Capacidade da bateria: 10.000 mAh
  • Tipo de bateria: Polímero de ion-lítio
  • Duração média da bateria: 15 horas
  • Frequência de resposta: 70 – 20.000 Hz
  • Saída: 80 dB
  • Potência: 2 x 20 W
  • Preço sugerido: R$ 1.699

caixas-de-som-jam-tem-alcance-de-ate-30-metros-via-bluetooth-e-funciona-por-ate-4-horasHDMX Jam

Portátil e com um design moderno, a caixa de som Jam da marca HMDX pode ser conectada a qualquer dispositivo por meio da tecnologia Bluetooth com alcance de até 30 metros.

O aparelho conta com uma bateria de Ion de Lítio recarregável com autonomia de até 4 horas.Seu som estéreo é de alta qualidade, com potência RMS de 2.5 W, impedância de 3 Ohms. Ela pode ser adquirida por preços a partir de R$ 173.

brightBright Bluetooth

Pequena e prática. A caixa de som Bright conta com tecnologia Bluetooth que permite a reprodução direto das suas playlists do seu tablet, celular, notebooks e computadores.

E conta também com uma boa potência (3w) e portas USB e P2, além de entradas para cartões microSD. Oposto do modelo anterior, ela é super em conta: R$ 99.

caixa-de-som-portati-da-sony-possui-8h-de-bateriaSRS-X5 da Sony

O modelo SRS-X5 da Sony tem bateria recarregável com autonomia de até oito horas e conexão Bluetooth e NFC, capaz de se comunicar com outros dispositivos, como smartphones, tablets, laptops e computadores. Com design minimalista e 20W RMS de potência, o aparelho é bastante portátil, pesando apenas 1,2kg.

Ele pode ser usado também para atender ligações uma vez conectadas a um smartphone por meio de um microfone embutido no aparelho.
A SRS-X5 custa R$ 999 na loja oficial da Marca.