Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!


Segundo os pessimistas de plantão, até abril está programado demissões em massa em vários setores, classe C já agoniza, o fogo do inferno só aumenta.

Segundo dados do IBGE, o desemprego ficou em 5,3% em janeiro, contra 4,3% em dezembro e 4,8% no mesmo período de 2014. A taxa ainda está em patamares historicamente baixos, mas essa alta de 1 ponto percentual significa que o número de pessoas desocupadas aumentou 22,5% no mês passado. No total, o saldo de janeiro é de um fechamento de 220 mil postos de trabalho.

caminhoneiro-dilma

    TAXA DE DESEMPREGO CAI PELA QUARTA VEZ, SEGUNDO IBGE

    O ibge registrou queda no desemprego no último trimestre, embora a redução esteja ligada à alta na informalidade, também é um sinal de retomada da ...

    JORNAL HOJE 28/07/2017 DESEMPREGO ATINGE 13,5 MILHõES DE BRASILEIROS, SEGUNDO ..

    Se inscreva sua opinião nos comentarios deixe seu like playlist completa no blogger https://canaltvjornalismo.blogspot.com.br/ ...

    DESEMPREGO BATE NOVO RECORDE NO BRASIL, SEGUNDO IBGE I JORNAL DA NOVO TEMPO

    O desemprego no brasil bateu um novo recorde. os dados são do ibge. e fazem parte da pesquisa nacional por amostra de domicílios, a pnad contínua. Tudo sobre Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!

2 respostas para “Desemprego em alta segundo IBGE, calma que vai piorar!”

  1. Após determinar limites de gastos para cada ministério com custeio e investimento até abril, o governo Dilma Rousseff publicou nesta sexta-feira (27) medida provisória reduzindo o benefício fiscal da desoneração da folha de pagamento…

    Com a medida provisória desta sexta, os setores que pagavam 2% passarão a pagar 4,5% sobre o faturamento. Os que pagavam 1%, passarão a pagar 2,5%.
    A redução do benefício, que custou aos cofres públicos R$ 21,6 bilhões no ano passado, é parte da política da atual equipe econômica de apertar ainda mais o controle de gastos neste ano difícil para a economia.

    A política de desoneração da folha de pagamentos foi iniciada em 2011 e ampliada para 56 setores em 2016 e 2017 de forma definitiva, com o intuito de ajudar o fluxo de caixa das empresas e tentar manter postos de trabalho.

    Os setores atendidos pela desoneração deixaram de pagar 20% de contribuição previdenciária sobre a folha de salários e passaram a arcar com uma alíquota de 1% ou 2% sobre o faturamento bruto anual, descontada a receita de exportação.
    O aumento do imposto passa a valer a partir de 1º de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *