NovasdoDia » Economia » Juros do cartão de crédito serão reduzidos pela metade, palavra do presidente

Juros do cartão de crédito serão reduzidos pela metade, palavra do presidente

Os juros do cartão de crédito devem cair pela metade, atualmente é tão abusivo, que continuaram a serem abusivos, mas não deixa de ser uma ótima notícia para o ano que se inicia.

Os juros do rotativo do cartão de crédito terão uma redução de mais da metade no primeiro trimestre de 2017, anunciou o presidente Michel Temer nesta quinta-feira (22). O anúncio foi feito em café da manhã com jornalistas.

Há uma semana, o presidente já havia afirmado que o governo estudava formas de baixar os juros do cartão, mas ainda não havia anunciado o tamanho do corte esperado.

“(…) no primeiro trimestre desse ano [2017] haverá uma redução de mais da metade dos juros cobrados no cartão de crédito. Em duas hipóteses: a hipótese do juro do cartão, que é aquela coisa dos 30 dias, que é o chamado rotativo, onde haverá essa redução de mais da metade do que hoje se cobra. E em segundo lugar, 30 dias após –é isso que está sendo imaginado–, haverá um parcelamento daqueles que não pagaram, e esse parcelamento ainda receberá juros inferiores, menos da metade, quer dizer, menos da metade do que é cobrado no rotativo”, disse o presidente.

Temer também anunciou que o trabalhador poderá sacar todo o dinheiro que tem em contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). As contas inativas são aquelas que não recebem depósitos há pelo menos três anos.

O governo prometeu anunciar ainda hoje mudanças nas leis trabalhistas, incluindo plano de seguro para emprego, que será enviado ao Congresso Nacional por meio de medida provisória.

Juros do cartão estão entre os mais altos

Os juros médios do cartão de crédito estão entre os mais altos do mercado. A taxa chegou a 459,53% ao ano em novembro, segundo pesquisa da Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Os juros do rotativo do cartão de crédito são cobrados quando o cliente não paga o valor total da fatura.  Atualmente, o cliente tem a opção de pagar apenas uma parte do valor da fatura, o chamado valor mínimo (15%) e deixar o saldo restante para o próximo mês. Essa operação é chamada crédito rotativo.

Essa operação, ao lado do uso do cheque especial, envolve a cobrança dos juros mais altos do mercado. Por esse motivo, deve ser sempre evitada.

Os juros são definidos pela instituição financeira e cobrados sobre a quantia que deixou de ser paga. No site do Banco Central (http://zip.net/bgtcRG – link encurtado e seguro), é possível conhecer as taxas de juros de todas as instituições financeiras.


Notícias da economia brasileira atual, bolha imobiliária, mercado de ações, bolsas, etc.

    LIMITAR JUROS DE CARTãO DE CRéDITO é IGNORâNCIA ECONôMICA

    Fontes: ...

    JUROS DO CARTãO DE CRéDITO

    Vídeo apresentando como calcular juros, taxa efetiva, dos juros do cartão de crédito, juros do rotativo. os juros do rotativo do cartão de crédito são os juros ...

    JUROS DO CARTãO DE CRéDITO CHEGAM A 432% AO ANO 07/04/2016

    Juros do cartão de crédito chegam a 432% ao ano 07/04/2016. Tudo sobre Juros do cartão de crédito serão reduzidos pela metade, palavra do presidente

Um comentário

  1. Governo aposta em ‘pauta positiva’
    O governo vem anunciando propostas para tentar estimular a economia e tirar o país da crise. Muitas dessas medidas ainda estão em estudo e não têm prazo determinado para entrar em vigor.

    O desempenho da economia continuou ruim no segundo semestre deste ano, o que colocou em xeque o otimismo visto com a mudança de governo (Michel Temer assumiu interinamente a Presidência em 12 de maio).

    O anúncio de medidas consideradas positivas também acontece num momento em que o governo tenta reverter um desgaste de imagem, após a cúpula do Palácio do Planalto –incluindo o próprio presidente– ter sido citada em delação premiada da Odebrecht, no âmbito da operação Lava Jato.

    Para especialistas, o “minipacote” divulgado na semana passada é “positivo, mas não resolve”. A principal crítica é que as propostas não têm relação entre si, parecem um “catadão de medidas”, e devem ter quase nenhum impacto na retomada da economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *