Oi teve prejuízo de quase meio bilhão e reduz funcionários


Crise em que o país está mergulhado não poupa nenhum setor, nem mesmo o lucrativo ramo de operadoras de telefonia.

A operadora Oi registrou um prejuízo de R$ 447 milhões no primeiro trimestre deste ano. O resultado é o oposto do lucro de R$ 228 milhões obtido no mesmo período do ano passado.

A dívida líquida da empresa aumentou 7,5% neste início de ano, para R$ 32,557 bilhões. No primeiro trimestre de 2014, o número era de R$ 30,291 bilhões. A economia mais fraca também ajudou a derrubar o lucro da TIM Brasil, que ontem anunciou lucro menor no início deste ano, de quase R$ 313 milhões.

Com isso, a Oi registrou receita líquida de R$ 7,094 bilhões, uma queda de 0,9% em relação ao mesmo período do ano passado. O número foi influenciado pelo recuo de 1,2% no número de clientes, que somou 73,577 milhões ao fim de março. Assim, a geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda, caiu 34,6%, para R$ 2 bilhões no primeiro trimestre.

 

A empresa também reduziu os investimentos neste início de ano, para R$ 1,025 bilhão. O número representa uma queda de 19,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Para preservar o caixa, a operadora reduziu também seus gastos em 4,7%, para R$ 5,029 bilhões

    TéCNICO DE ENFERMAGEM FALSIFICANDO CHEQUES DE CASAL DE IDOSOS DEU PREJUíZO DE ..

    DESBLOQUEIA OI! #DESBLOQUEIAOI #GABRIELPRECISATRABALHAR

    Quase 1 mês com a internet e telefone bloqueado de modo indevido pela oi. quase 1 mês pagando lan house todo dia para pode trabalhar. quase 1 mês ...

    OI-VELOX - DESESPERO DE UMA FALêNCIA

    Contém 1 hora e 40 minutos de áudio das conversações com atendimento telefônica oi demonstrando irregularidades na prática comercial com seus clientes. Tudo sobre Oi teve prejuízo de quase meio bilhão e reduz funcionários

Uma resposta para “Oi teve prejuízo de quase meio bilhão e reduz funcionários”

  1. Marcelo Rocha Cecilio, morador do Engenho Novo, contratou, no primeiro semestre do ano passado, um plano de telefonia móvel da operadora Vivo por R$ 51,90 mensais para o celular do filho adolescente. Entre outros serviços, o pacote dava ao garoto o direito de usar 500MB de internet por 30 dias e, quando esgotados, poderia continuar navegando em velocidade reduzida. Mas em fevereiro, ao contrário do que vinha ocorrendo até então, quando o limite da franquia se esgotou, após 13 dias de uso, a navegação foi suspensa.

    O motivo foi a mudança do modelo de cobrança de internet móvel implantado gradualmente pela Vivo e pelas outras três maiores operadoras do país — Claro, TIM e Oi — a partir do fim de 2014. Pelo novo sistema, depois que a franquia contratada termina, o serviço é cortado. Caso queira acesso à internet antes da mudança do mês, o consumidor precisa comprar mais créditos.

    Foi o que fez César Romanel, cliente pré-pago da Oi. Pelo sistema antigo, ele pagava R$ 6,90 por semana para navegar na web. Com a mudança, seu gasto dobrou, pois a franquia acaba em três ou quatro dias, e ele precisa fazer uma nova contratação para continuar navegando.
    IRREGULARIDADES
    Para entidades que compõem o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC), coordenado pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), além de trazer mais custos para os usuários, a mudança foi implementada com uma série de irregularidades, como descumprimento de oferta, quebra unilateral de contrato e falta de clareza e transparência.

    — Há uma falha gigante no modelo de oferta de internet móvel no país. As empresas têm o direito de mudar o modelo de negócios. Mas, neste caso, os consumidores foram induzidos ao erro, pois a oferta inicial, quando da contratação, não previa cortes — explica a titular da Senacon, Juliana Pereira. — O SNDC vai priorizar a fiscalização das publicidades de oferta de internet móvel, que terão de ser padronizadas. Não vamos tolerar o uso de expressões como ilimitada, infinita, pois a franquia tem uma capacidade de entrega — avisa.
    Romanel e Cecilio garantem não terem sido comunicados da mudança.
    — Fui pego de surpresa. Me senti enganado, impotente e sem opção, já que as quatro operadoras alteraram as regras ao mesmo tempo. Ainda não sei o que fazer, se mudo de operadora ou plano, pois nem ao menos consigo ser atendido pelo SAC da Vivo — conta Cecilio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *