Ranking do UFC, veja quem é o primeiro e a lista de brasileiros


O tão aguardado ranking do UFC finalmente saiu, sem muita surpresa no 1º colocado, o brasileiro Anderson Silva (Spider) confirmou o favoritismo e apareceu  na primeira posição no peso por peso, aquele que engloba os lutadores de todas as categorias.

O Spider deixou para trás nomes como Jon Jones, Georges St-Pierre e José Aldo.

O ranking oficial do UFC foi o resultado de uma votação envolvendo jornalistas do mundo todo que foram selecionados pela organização. Eles enviaram suas escolhas logo após o UFC 156, realizado no último sábado, em Las Vegas.

  • Os brasileiros:

O  maior número de representantes está no peso-pesado – com Junior Cigano (1º), Fabrício Werdum (2º), Antônio Pezão (4º) e Rodrigo Minotauro (7º) – e no peso-meio-pesado – com Lyoto Machida (2º), Glover Teixeira (4º), Rogério Minotouro (5º) e Mauricio Shogun (7º).

“Todo mundo ama rankings. Todos os dias, milhões de pessoas abrem o jornal para saber quem é o primeiro ou o último colocado em uma classificação, de qualquer esporte. Acredito que isso vai ajudar a trazer ainda mais fãs.”, disse Dana White, o chefão!  Confira a lista abaixo e veja se você está de acordo:

ranking 2013-2014 - 2014 mma

Informática: Conheça 6 startups que investiram para mudar a educação


educacion

LinguaLeo

A LinguaLeo tem origem russa e com o aporte de 3 milhões de dólares da Runa Capital, fundo de investimento russo focado em tecnologia, iniciou o processo de internacionalização neste ano. A startup oferece ensino de inglês online por meio do gamefication e conta com 2,5 milhões de usuários.

Aynur Abdulnasyrov, fundador e CEO da LinguaLeo, explica que o Brasil foi o primeiro país escolhido para a expansão do negócio porque tem algumas semelhanças com a Rússia: os dois países fazem parte do BRICs e têm um mercado potencial grande para aprender outro idioma. Parte do conteúdo do site pode ser acessada gratuitamente.

Com uma taxa de 99 reais ao ano, usuário tem à disposição um número ilimitado de palavras para aprender, por exemplo. Há também uma versão corporativa, voltada para empresas e executivos.

Veduca

O Veduca está no ar desde março do ano passado e reúne mais de 5 mil aulas de universidades internacionais como Harvard, Standford, Yale, Princeton e UCLA, além de brasileiras como USP, Unesp e Unicamp. Carlos Souza, um dos fundadores do portal e CEO, afirma que a educação deve estar ao alcance de todos que desejam aprender, por isso os conteúdos podem ser acessados gratuitamente. A startup fatura com a venda de certificados. A partir de 15 de fevereiro, a versão beta da nova plataforma estará no ar; a versão oficial está prevista para ser lançada em março.

Qranio

Fundada pelo mineiro de Juiz de Fora Samir Iásbeck, a startup Qranio tem o objetivo de levar aprendizado e conhecimento por meio de jogos. Iásbeck explica que nunca gostou de ir à escola, mas que gostava de aprender. O usuário cria um perfil no site ou no aplicativo em um aparelho iOS ou Android e responde a perguntas sobre diversas categorias como música, história, geografia, ciência.

Ao acertar, acumula pontos ou “QI’s que podem ser trocados por prêmios como viagens, produtos tecnológicos, livros, entre outros. O faturamento vem do usuário premium que paga uma mensalidade. O projeto ganhou em fevereiro de 2012, durante a Campus Party, a disputa Wayra Contest. Hoje, a Wayra/Vivo é investidora da startup.

Geekie

Os empreendedores Claudio Sassaki e Eduardo Bontempo fundaram a Geekie em setembro de 2011 e a startup é especializada no desenvolvimento de produtos para o setor de educação. Sassaki cursou o MBA e Mestrado em Educação pela Stanford Graduate School of Business e Stanford School of Education, respectivamente, e Bontempo cursou MBA na escola de negócios do Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Eles acreditam que as pessoas não aprendem da mesma forma e que a tecnologia pode ser usada para entender como cada aluno aprende melhor. O negócio desenvolve, sob demanda, análises de testes e soluções educacionais como uma plataforma online de preparação para o ENEM. Em São Paulo, os colégios Bandeirantes, Pentágono e Lourenço Castanho são alguns de seus clientes.

AzAmerica sem sinal, parceria com a Tocomsat chega ao fim, receptores ficarão Off


Az-America desfaz parceria com Tocomsat e e possivelmente fica sem sinal. De acordo com um moderador que nos passou essa informação que em breve isso vai acontecer ainda não sabemos mais possivelmente a Az America vai alugar outro servidor ou até mesmo construir seu próprio servidor.

Vamos aguarda e torce para que realmente esta mudança seja para melhor, já que o último ano, foi péssimo para A Az-America, entre uma das decepções foi lançar um péssimo receptor, o S820, que até o momento o problema do som em canais HD não foi resolvido.S922-HD-s930-s932-gratis-atualizacao-recovery-Download-Completo--Full-(1)

Confira abaixo a linha de receptores atuais da marca:

  • Receptor Azamérica S922 Full HD – IKS e SKS Grátis, O Mais vendido da AzAmérica. – Com Smart CARD!!

Novíssimo Receptor Azamérica S922 FullHD Iks e SKS Grátis, Menor e mais Poderoso PARA USAR COM 2 ANTENAS
Preço: R$539,00

  • Az America F98 HD para Tv a Cabo abrindo HD – Lançamento 2012 – APARELHO PARA NET A CABO!

A solução para os canais bloqueados está aqui, esse aparelho dotado de plataforma Linux promete abri…
Preço: R$499,00

  • Receptor Az-América S925 HD 1080 Dpi – Funciona no IKS e SKS

Menor e mais potente, o lançamento da AzAmerica S925 PROMETE!…
Preço: R$419,00

  • Receptor Az-America S-900 LAN USB/HDMI

Preço: –

  • Receptor Az América S912 – IKS – Youtube – Rss

Excelente Aparelho da AzAmerica!!!…
Preço: R$409,00

Carreira: Conheça 3 motivos para atuar com computação em nuvem


cmptç

1 – Alta demanda para os próximos anos

Os interessados em entrar para esta área de TI encontrarão um mercado em crescimento e com vagas abertas. Ainda segundo a pesquisa da Symantec, 90% das corporações em diferentes países e mais de 80% das empresas no Brasil discutem sobre o uso da tecnologia de computação em nuvem. Há um ano, o índice global era de 75%.

Uma segunda pesquisa, desta vez divulgada pelo instituto de aconselhamento em tecnologia Gartner, a área de computação em nuvem ocupa a terceira posição das 10 tecnologias que serão prioridade em 2013.

Esta tendência de crescimento em implementar a nuvem nas corporações requer especialistas qualificados para manter os dados em sigilo, evitar interrupções no fornecimento do serviço e alcançar objetivos comerciais.

2 – Profissionais raros

A área de computação em nuvem será responsável pela criação de 14 milhões de novas vagas em todo o mundo até 2015, diz a empresa de análises de mercado IDC.

“O aumento de demanda tanto das empresas fornecedoras quanto dos clientes gera a necessidade de contratar técnicos experientes e especializados”, comenta Fábio Xavier, coordenador do curso de pós-graduação em cloud computing do Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada (IBTA).

Estima-se que o cloud computing gere o dobro de vagas de empregos ano a ano. Empresas de grande porte em TI como o Google e a Microsoft têm cada vez mais interesse em cloud computing.

Já Eduardo Kruger, sócio da Informant, empresa especializada na prestação de serviços terceirizados, comenta que empresas terceirizadas buscam profissionais especializados em cloud management, responsáveis pelo software que equipa o monitoramento das aplicações, dados e serviços usados na nuvem.

“Para atuar nesta área, o colaborador deve ter um perfil com diferentes habilidades. É necessário conhecer sobre pesquisa e inovação, área comercial, soluções de problemas em um curto prazo, além de conhecer investidores e outros profissionais experientes”, comenta.

3 – Jogos e serviços de streaming

As aplicações que permitem fazer o streaming de filmes como o Netflix e Hulu, por exemplo, e os serviços de jogos online GameFly e OnLive requerem profissionais especializados em computação em nuvem.

Os interessados em atuar com cloud podem buscar vagas em desenvolvedoras de aplicativos para Smart TVs, tablets e smartphones que lidam com dados transferidos e armazenados por meio da internet, empresas que são especializadas em guardar documentos na nuvem e também corporações que proporcionam disponibilidade, escalabilidade e processamento para outras empresas.