BMW S 1000 RR Tricolor chega às lojas, modelo 2018 agrada, veja preço


A novíssima BMW acaba de lançar no Brasil a moto esportiva S 1000 RR Tricolor, com as cores da divisão Motorsport da marca alemã (azul, branca e vermelha).

O grafismo da carenagem, totalmente renovado, ressalta a esportividade da motocicleta ao extremo. De acordo com a divisão de motocicletas da montadora, BMW Motorrad, o preço sugerido foi mantido em R$ 78.400.

Assim como as outras versões da superesportiva, a Tricolor vem com motor de quatro cilindros e 999 cm³, que gera 199 cv de potência e 11,5 mkgf de torque. O câmbio tem seis marchas. Entre os principais equipamentos de série destacam-se freios com ABS, controle de tração, suspensão ativa, controlador de velocidade e manoplas com aquecimento.

BMW F 700 GS ganha atualização e versão mais barata para 2018


Antes da apresentação oficial da G310 R, a BMW Motorrad atualiza sua linha no Brasil. Dessa vez, a recém-lançada F700 GS já recebe mudanças para o ano/modelo 2017. Moto de entrada da linha trail da marca, ela recebeu novo escapamento, mais esportivo, e painel de instrumentos com novo grafismo.

Na parte eletrônica, a GS adiciona o seletor de modos de pilotagem com duas configurações (Rain e Road) em uma nova geração do sistema de acelerador eletrônico. O preço se manteve o mesmo, de R$ 39.950, sem falar na estreia de uma inédita série especial, chamada Sport, por R$ 35.950.

No restante, a F 700 GS se mantém a mesma: motor de dois cilindros, 798 cc e 75 cv com câmbio de 6 marchas. Entre os itens de série se destacam os freios com ABS, lanterna de LEDs, amortecedor traseiro com ajuste de pré-carga, controle de tração e computador de bordo.

BMW G 310 R 2018 chega com visual arrasador, mas peca por ser monocilindro


A BMW G 310 R, roadster produzida em Manaus com projeto focado no mercado brasileiro, terá preço de R$ 21.900, quando estiver nas lojas no segundo semestre de 2017. A moto possui visual arrojado, assento em nova posição, priorizando o conforto do piloto, e display LCD com comandos acessíveis. É a primeira moto pequena da BMW, feita em parceria com a indiana TVS.

O motor é monocilíndrico e possui exatos 313 cm³, refrigeração a água, comando duplo de válvulas e injeção eletrônica. A potência fica na faixa dos 34 cv e o torque, de 2 mkgf, está disponível a 7.500 rpm. Seu peso de apenas 158 kg favorece o uso em ambientes urbanos.

BMW G 310 R (K03)

Durante as mais de seis horas de avaliação da G 310 R em Los Angeles, foi possível perceber que ela não vem ao mercado de brincadeira. Seu motor de 313 cm³, com 34 cv a 9.500 rpm e 2,8 mkgf a 7.500 rpm, é nervoso e a deixa bem arisca, ajudada pelo cambio com marchas curtas, ideais para ganho de velocidade. Na estrada, porém, em velocidades mais altas, ela fica pedindo uma sétima marcha que não existe para deslanchar mais.

Mas como ela não é uma moto estradeira, tem perfil mais urbano, a idéia de encurtar o cambio não é um erro. O motor ainda tem uma concepção pouco comum: a saída de escape fica para trás e a admissão na frente. Isso ajuda a dar mais estabilidade em alta. A vibração do monocilíndrico fica mais acentuada aos 5 mil giros, antes disso ela é bem suave. O único porém do conjunto é que não é tão fácil assim colocar a posição do câmbio no neutro (ponto morto).

A posição de pilotagem e ótima. Ela é baixa, com 78,5 cm de altura do assento, mas não o suficiente para atrapalhar em curvas. E com isso também é ótima para manobrar ela parada. Somente lá pelas 5 horas de viagem que o bom assento começou a incomodar. O piloto também fica com a posição dos braços e das pernas bem encaixada, evitando desgaste.

BMW G 310 R (K03)

Os garfos dianteiros são ótimos para curvas e permitem até algumas ousadias seguras. No entanto, precisarão ser ajustados para os buracos do Brasil para aumentar o conforto ao rodar. Na traseira, o monoamortecimemto dá conta de segurar o peso do motorista e grudar a roda traseira no chão em curvas mais rápidas, como as feitas na mítica Mulholland Highway, local povoado de carros esportivos originais e mexidos esperando sua vez na fila de acelerar.

Os freios a disco simples nas duas rodas, com 300 mm na frente e 240 mm atrás, respectivamente, com ABS, são muito eficientes, principalmente o dianteiro, mas o pedal do freio traseiro poderia ser um pouco maior. O painel, digital e analógico, é informativo e fácil de ver mesmo com o sol a pino em cima.

Em termos visuais, a moto arrasa. Ela tem um ótimo porte, nem parece ser apenas uma trezentas, carenagem moderna e uma rabeta limpa e fina, o que aumenta a sensação de esportividade. Não foram informadas ainda as cores que estarão disponíveis no Pais, mas na avaliação nos EUA havia a tradicional branca, azul e vermelha, cores de competição da BMW, uma bela azul e uma preta que não chama tanta atenção.

BMW 320i MSport 2018 chega com preço a partir de R$ 189 mil


A tarefa de um avaliador é procurar defeitos, sem obsessão, e salientar qualidades, com moderação. Mas e quando o objeto de avaliação é um produto que beira a perfeição, um projeto acertado em cada detalhe? O BMW Série 3, vendido no Brasil por R$ 189.950 na versão 320i M Sport, é um daqueles carros em que é preciso se beliscar o tempo todo para não perder o foco e se deslumbrar.

Há versões mais fortes do Série 3 e até mais bonitas, como a esportiva M3. Porém, o 320i tem um equilíbrio entre potência, uso urbano e consumo que, aliado ao acerto impecável das suspensões, faz dele um sedã “matador”.

O carro produzido em Araquari (SC) traz, sob o capô, o motor 2.0 turbo flexível, que entrega 184 cv e 27,5 mkgf independentemente do combustível escolhido. O maestro da orquestra é o câmbio automático de oito velocidades.

A primeira e a segunda marchas são bem curtas e a sétima e a oitava, bastante longas. O objetivo é priorizar, respectivamente, o desempenho e a economia de combustível. Como todo o torque está disponível a partir das 1.250 rpm, há força de sobra em qualquer situação, mas também dá para andar a 50 km/h sem que o carro fique “pedindo” para acelerar. A 120 km/h, o modelo parece rodar na metade dessa velocidade, tamanha a suavidade do conjunto.

Também é agradável perceber como as suspensões independentes funcionam e se adaptam bem a situações variadas. Em baixa velocidade, os multibraços da traseira dão aderência na mesma proporção em que absorvem bem os impactos, com pouco retorno de mola em buracos maiores. Em alta, grudam o 320i no chão e fazem o sedã médio ter ótimo comportamento mesmo em curvas rápidas.

SAO PAULO JORNAL DO CARRO BMW BMW 340i, Colour: mediterranean blue. Leather: Dakota Oyster, Sport Line FOTO BMW

Com bom espaço, o interior do BMW agrada também pela qualidade da construção. Tudo é bem-feito e os materiais refletem o bom nível que um modelo desse porte deve ter.Mas há uma crítica: a cabine está datada e merece uma renovação total na próxima geração do carro, como a Mercedes fez com o Classe C.

Uma boa lista de equipamentos, com vários air bags, controles eletrônicos, sensores, conectividade e sistema que recupera a energia das frenagens, mais o porta-malas de 480 litros, completam o bom conjunto.

Valor: R$ 189.950