Volkswagen T-Roc 2018 chega para competir com Jeep Renegade, Honda HR-V e Hyundai Creta


A Volkswagen apresentou oficialmente o T-Roc. Com 4,23 metros de comprimento, 2,60 metros de entre-eixos e 445 litros de espaço no porta-malas, será posicionado abaixo do Tiguan. No mercado brasileiro, onde deverá chegar no ano que vem, pertencerá ao mesmo grupo de modelos como Jeep Renegade, Honda HR-V e Hyundai Creta.

O modelo chegará primeiramente à Europa até o final deste ano. As opções a gasolina incluem motor 1.0 de 115 cv de potência com câmbio manual de seis marchas, um 1.5 TSI de 150 cv de potência com caixa manual de seis marchas ou automática de sete com dupla embreagem com opção de tração integral

A versão topo de linha traz um 2,0 litros de 190 cv, transmissão automática e tração nas quatro rodas. Já as unidades a diesel compreendem um 1.6 de 115 cv, um 2.0 de 150 cv e um 2.0 de 190 cv.

O crossover permite combinar a cor do teto, que pode ser preto ou branco. Na parte de dentro, uma tela de 11,7 polegadas se destaca no painel digital. O sistema de entretenimento também possui display nos mesmos moldes. O modelo fará sua estreia mundial no Salão de Frankfurt, em setembro.

Volkswagen Polo chega ao País em setembro


5A Volkswagen começou a divulgar novas informações sobre o Polo nacional, que será produzido na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) e chega a partir de 1° de setembro.

O modelo que é produzido sobre a plataforma MQB, que é a mesma utilizada pelo Golf, terá algumas alterações em relação ao modelo europeu.

A suspensão teve a altura modificada e está 20 mm mais alta, para atender as necessidades de altura superior em relação ao solo das condições do Brasil. A barra estabilizadora dianteira tem 20 mm de espessura. A direção terá assistência elétrica, de série em todos os Polo.

Para a versão de topo ele virá com motor 1.0 turbo, o mesmo do Golf, mas ajustado para 128 cv e 20,4 mkgf. Nesse caso, a transmissão será a automática Tiptronic de seis marchas. Essa versão deverá competir com modelos como Ford Fiesta, Honda Fit e versões mais caras de Peugeot 208 e Citroen C3.

O Polo de topo também terá freio a disco nas quatro rodas, controle de estabilidade e o XDS+, que freia a roda dianteira e traseira do lado de dentro da curva para corrigir a trajetória. Há ainda sistema de frenagem pós-colisão, que evita uma segunda batida e reduz a velocidade a até 10 km/h.

Na opção de entrada, é esperado o 1.6 MSI de 120 cv, com opção de câmbio manual ou automático de seis marchas. Para essa versão, os rivais são o recém-lançado Fiat Argo, Chevrolet Onix e Hyundai HB20.

De série, desde essa versão haverá controle de tração (M-ABS + TC), regulagem de freio-motor (MSR), limpeza automática dos discos de freio, para tirar a camada d’água e monitoramento de pressão dos pneus.

Diferente do que esperado, o painel virtual da Europa será oferecido na versão nacional, mas como um opcional apenas na versão de topo. Há também uma central multimídia com tela de 8 polegadas.

O Polo vai oferecer ainda funções como entrada e partida sem chave (keyless), sensores crepuscular e de chuva, Cruise Control, ar-condicionado digital, três tomadas USB, câmera de ré, sensores de obstáculos dianteiro e traseiro, além de rebatimento dos espelhos com função tilt down.

Além das novidades mecânicas, o Polo nacional estreia a nova nomenclatura da Volkswagen para os modelos TSI. Agora, o torque será expresso em Nm antes do emblema TSI, com a versão turbo se chamando 200 TSI.

Volkswagen Gol Track traz apliques cromados e máscara negra como novidade


O Gol e Up Track é baseado na versão Move e está disponível apenas com o motor 1.0 de 82 cv. Traz apliques cromados na parte inferior dos para-choques, capas de espelhos retrovisores e maçanetes externas com acabamento preto e faróis com máscara negra.

Trinta carros. Doze estrelas. Eis as credencias da Volkswagen no Salão de São Paulo. Entre todas, há três novidades que começam a ser vendidas logo após 0 evento: a série especial Track para o Gol e Up, além da Urban White para o CrossFox. A mesma receita é adotada pelo Gol Track. Já CrossFox Urban White ganha a cor Branco Puro e sistema de monitoramento da pressão dos pneus.

painel-volkswagen-gol-2017-voyage-copia

Volkswagen Gol Highline 1.6 2017; preço e consumo


A atual geração do Gol está entre nós há oito anos e assim permanecerá pelo menos até 2017, quando um projeto totalmente novo de estrear. Algumas características ainda agradam, como a boa posição de dirigir e os engates suaves do câmbio manual do câmbio manual de cinco marchas. Mas no geral a modernidade dos rivais deixou o gol para trás.

O ex-campeão de vendas sente o peso da idade tanto na ergonomia quanto no aproveitamento de espaço interno, ambos superiores na concorrência. Apesar de ter recebido melhorias, o motor ainda é o velho 1.6, de até 104 cv se abastecido com etanol. Na pista de testes, o VW foi o mais lento na aceleração de 0 a 100 km/h (12 segundos) e o mais beberrão nas medições de consumo urbano (10,6 km/l) e rodoviário (14,8 km/l), mas foi o melhor em duas das três provas de frenagem.

novo-gol-highline-2016-5-620x426

Além de ter sido atualizado por fora, o interior ganhou em visual (com traços semelhantes aos modelos mais recentes da VW) e conectividade, graças á central multimídia Composition Touch, com funções como espalhamento da tela do Smartphone. Opcionalmente, o cliente pode levar um equipamento ainda mais avançado, a Discover Media, que oferece aplicativos e responde comandos de voz. Neste caso, porém, o preço básico de R$ 53.350 pode chegar a R$ 58.544.

Além do preço salgado, o Gol também maltrata o bolso com a apólice de seguro mais elevada de todos (R$ 2.438) e a segunda cesta de peças mais cara do grupo (R$ 3.382). Do jeito que está, o ex-campeão acabou ficando no quarto lugar do nosso comparativo.